shopping-bag 0
Items : 0
Subtotal : 0.00 
Ver Carrinho Check Out

Notícia

VIEMOS PARA FICAR!

O Estádio Marcolino Castro vestiu-se de gala para apoiar o CD Feirense nesta última jornada da Liga NOS, frente ao Estoril-Praia, num jogo que era considerado como uma autentica final, em virtude da posição das duas equipas na classificação. Muito importante foi também o apoio incondicional dos mais de cinco mil adeptos fogaceiros que encheram por completo o estádio, apoiando a equipa desde o primeiro até ao último segundo. No final, o empate a zero foi suficiente para o CD Feirense garantir a, muito merecida, manutenção na 1ª Liga.

O CD Feirense entrou um pouco na expectativa, procurando perceber qual seria a estratégia do seu adversário, e isso permitiu à equipa do Estoril criar alguns lances de perigo nos primeiros quinze minutos. Matheus Savio pôs à prova Caio Secco, para pouco depois, de livre, atirar a centímetros da baliza. Ewandro e Duarte ainda assustaram a defesa fogaceira, mas, aos poucos, a equipa de Nuno Manta Santos foi ganhando metros e equilibrou o jogo. Luís Rocha, num desvio de um livre lateral, esteve muito perto do golo, no primeiro sinal de perigo dos azuis. Até ao intervalo, o jogo decorreu sempre com grande equilíbrio, com as duas equipas a evidenciarem grandes cautelas defensivas, pelo que o nulo no marcador se ajustava aos primeiros 45 minutos.

A segunda parte começou com uma boa oportunidade para o CD Feirense. Cruzamento de Edson Farias na direita e João Silva de cabeça a atirar a escassos centímetros do poste. Aos 62 minutos, Kakuba ofereceu o corpo à bola para fazer um excelente corte a remate de Lucas Evangelista que seguia a direção da baliza. Pouco depois. Matheus Savio, em posição frontal, atirou sobre a barra. A equipa fogaceira concedia a posse de bola aos “canarinhos” e, fruto dessa estratégia, passou por alguns sobressaltos. Matheus Savio, Ewandro e Jarman Aguilar ameaçaram a baliza de Caio Secco, mas sempre que o guardião fogaceiro era chamado a intervir, respondia com categoria, anulando todas as investidas contrárias. O relógio avançava e a conjugação de resultados nos outros jogos era favorável ao CD Feirense que via a permanência na Liga NOS cada vez mais perto. Já em período de descontos, e numa disputa de bola “mais acesa”, Halliche viu o cartão vermelho direto e deixou a sua equipa reduzida a dez jogadores. Pouco depois Artur Soares Dias deu o jogo por terminado e o estádio explodiu numa alegria imensa, com direito a invasão pacífica de campo, com os adeptos a saudarem os seus heróis.


Conferência de imprensa
“Não ganhámos, mas foi como uma grande vitória. Não foi um jogo fácil e nem sequer foi um bom jogo do Feirense. Foi um jogo de sofrimento, de luta e de jogar muito com o coração e não com a cabeça, mas conseguimos o objetivo principal.  Parabéns a todos, aos adeptos que são fantásticos e estamos cá para o ano”, Nuno Manta Santos, treinador do CD Feirense.

“Este é um momento de tristeza no balneário porque ninguém gosta de passar por esta situação. Tivemos duas ou três situações em que podíamos ter marcado e não o fizemos. Ao longo do campeonato nunca fomos uma equipa de marcar muitos golos, embora criássemos situações para isso”, Ivo Vieira, treinador do GD Estoril-Praia.


Liga NOS | 34ª Jornada
13 Maio | 18H00 | Estádio Marcolino Castro
CD Feirense 0x0 GD Estoril-Praia

CD FEIRENSE: Caio, Diga (Nascimento, 90+6’), Kakuba, Luís Rocha, Flávio, Cris (Babanco, 73’), Tiago Silva, Crivellaro, Edson Farias (Hugo Seco, 83’), Luís Machado, João Silva
SUPLENTES: Miskiewicz, Babanco, Nascimento, Luís Aurélio, Hugo Seco, Karamanos, Valencia
TREINADOR: Nuno Manta Santos

GD ESTORIL-PRAIA: Renan, Mano, Ailton, Halliche, Dankler, Pêpê, Lucas Evangelista, Duarte (Bruno Gomes, 83’), Jarman (Kléber, 65’), Savio, Ewandro (Allano, 69’)
SUPLENTES: Moreira, Pedro Monteiro, Joel Ferreira, Bruno Gomes, Kléber, Allano, Matheus Índio
TREINADOR: Ivo Vieira

ÁRBITRO: Artur Soares Dias (AF Porto)
ASSISTENTES: Rui Licínio, André Dias
4º ÁRBITRO: Carlos Xistra
VAR/AVAR: João Pinheiro, Bruno Rodrigues

AÇÃO DISCIPLINAR: Cartão amarelo para Flávio (71’), Ailton (88’), Hugo Seco (90+4’). Cartão vermelho direto para Halliche (90+4’)

Deixar um comentário