shopping-bag 0
Items : 0
Subtotal : 0.00 
Ver Carrinho Check Out

Notícia

Feirense, 1 – Olhanense, 0 | Crónica

ESPÍRITO DE EQUIPA

O Feirense recebeu e venceu o Olhanense por uma bola a zero, em jogo referente à 15ª jornada da Segunda Liga, disputado no Estádio Marcolino Castro e que marcou a estreia de Mika a titular em jogos do campeonato. Garra, ambição de vitória e espírito de entreajuda impressionantes, foram estas as armas que os comandados de Pepa utilizaram para levar de vencida um adversário que se apresentou em campo apostado em segurar o nulo. Platiny, aos 82 minutos, na conversão de uma grande penalidade, marcou o único golo do jogo.

O Feirense teve uma boa entrada no jogo, com postura atacante, pressionando alto o seu adversário e jogando quase sempre no meio campo do Olhanense. Aos 11 minutos os azuis criaram a primeira ocasião clara de golo, quando Vasco Rocha aproveitou um mau passe de um contrário, correu alguns metros, tirou um adversário do caminho e rematou cruzado com a bola a desviar num defesa algarvio e quase traia o guarda-redes Moreira. O jogo era de sentido único, a baliza de Moreira, e aos 24 minutos, numa jogada iniciada por Rúben Oliveira, Platiny, já no interior da área, amorteceu de cabeça para o remate de Vasco Rocha, mas a bola não levou a direcção da baliza, gorando-se assim mais uma excelente ocasião para os comandados de Pepa. O Feirense insistia no ataque, procurava por todos os meios chegar ao golo, mas pela frente estava uma equipa do Olhanense muito fechada no seu meio campo, dificultando a tarefa aos fogaceiros. Os minutos iam avançando e os azuis não conseguiam ultrapassar a muralha defensiva dos algarvios, tendo o jogo chegado ao intervalo com o nulo a persistir no marcador.

O reinício do jogo foi mais equilibrado, com a equipa do Olhanense a subir mais no terreno, aparecendo junto à área fogaceira com mais frequência, mas sem criar qualquer situação de perigo para a baliza de Makaridze. Pepa mexeu no seu xadrez e tirou um médio defensivo, Semedo, para colocar em campo o ponta de lança Porcellis, num sinal claro de que queria vencer o jogo. A substituição deu mais profundidade ao ataque do Feirense, fazendo com que os azuis reassumissem o controlo do jogo, acercando-se com bastante frequência do último reduto forasteiro. O Olhanense voltou rapidamente a sua estratégia inicial, muito fechados no seu meio campo, abdicando da luta mais à frente, jogando claramente para o empate. Aos 63 minutos, Barge cruzou da direita para o interior da pequena área onde estava Porcellis a preparar-se para cabecear para o golo, mas Moreira, com uma palmada, tirou o “pão da boca” ao ponta de lança fogaceiro no momento certo. No minuto seguinte, o mesmo Porcellis, não conseguiu emendar para a baliza um excelente cruzamento de Serginho. O Feirense carregava sobre o seu adversário e aos 76 minutos, após uma jogada de insistência no ataque fogaceiro, Vasco Rocha deu para o remate de Platiny que foi “prensado” na defesa forasteira e na recarga Emma rematou ao lado da baliza de Moreira. OS azuis, apesar do jogo caminhar a passos largos para o final, mantinham a organização de jogo, sempre com muito critério e posse de bola também, não caindo na tentação de “chutar para a frente” como forma de chegar o mais rápido possível à área contrária. Aos 81 minutos, após mais um dos muitos ataques fogaceiros, Leandro Borges empurra Porcellis no interior da área, com o árbitro Hugo Miguel, de pronto, a assinalar grande penalidade a favor do Feirense. Na conversão do castigo máximo, Platiny, com muita categoria, rematou com êxito para o fundo das redes de Moreira e colocou o Feirense, com toda a justiça, a vencer por uma bola a zero. Em desvantagem, os algarvios tentaram chegar ao empate, mas a equipa que viajou desde Olhão nunca mostrou argumentos para suplantar a excelente organização defensiva dos azuis, não conseguindo nos minutos finais criar qualquer situação de perigo junto da baliza de Makaridze. O jogo terminou com a vitória justíssima do Feirense por uma bola a zero, que assim subiu ao 4º lugar da classificação, repartido com o Chaves e Portimonense, todos com 24 pontos.

Conferência de imprensa
“Foi uma vitória sofrida apenas nos números e quem joga para o empate acaba por ter dissabores. Foi um jogo muito positivo, com futebol apoiado, com a equipa super-concentrada a todos os níveis. Somos uma equipa que gosta de ter bola e assumir o jogo. Não podemos pensar pequeno, temos de pensar grande”.
Pepa, treinador do Feirense

“Foi um jogo muito forte e muito equilibrado, típico de Segunda Liga. Tentamos controlar o nosso adversário para sair em contra-ataque e criar perigo mas não conseguimos”.
Cristiano Bacci, treinador do Olhanense

Segunda Liga | Jornada 15
8 Novembro | Domingo | 15h00
Estádio Marcolino Castro

Feirense, 1 – Olhanense, 0

FEIRENSE: Makaridze, Ícaro, Mika, Serginho, Barge, Semedo (Porcellis, 60’), Fabinho, Vasco Rocha, Rúben Oliveira, Erivaldo (Emma, 71’) e Platiny (Cris, 86’)
SUPLENTES: Otávio, Carvalho, Tiago Jogo, Cris, Micael, Emma e Porcellis
TREINADOR: Pepa

OLHANENSE: Moreira, Rodolfo Lourenço, Fábio Marinheiro, Gonzalez (Leandro Borges, 69’), Giraldo, Murilo, Materazzi, João Oliveira (Douglas Morelatto, 66’), Virga, Tiago Duque e João Falque (Said, 61’)
SUPLENTES: Tiago Maia, Lucas Morelatto, Coelho, Douglas Cordeiro, Said, Leandro Borges e Coubronne
TREINADOR: Cristiano Bacci

Árbitro: Hugo Miguel (AF Lisboa)
Assistentes: Nuno Roque e Hernâni Fernandes

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Giraldo (31’), Rodolfo Lourenço (34’), Vasco Rocha (55’), Gonzalez (56’), Platiny (74’), Said (75’), Fábio Marinheiro (90+8’)

Marcadores:
1-0 Platiny (82’ g.p.)

1 2 3 4