shopping-bag 0
Items : 0
Subtotal : 0.00 
Ver Carrinho Check Out

Notícia

Feirense, 1 – Penafiel, 0 | Crónica

MICHAEL RESOLVE

O Feirense venceu o Penafiel por uma bola a zero, em jogo da jornada 17 da Segunda Liga, disputado no Estádio Marcolino Castro, num encontro em que a equipa de Pepa, uma vez mais, demonstrou enorme qualidade, capacidade e organização para conquistar os três pontos em disputa. O jovem Michael, aos 88 minutos, num cabeceamento à ponta de lança, fez o golo da vitória e que coloca os azuis no segundo lugar da tabela classificativa.

O Feirense entrou pressionante, assumindo desde muito cedo as rédeas do jogo e aos três minutos criou o primeiro lance de perigo. Erivaldo, desmarcado por Barge no corredor direito, cruzou para o interior da pequena área levando a bola a passar em frente á baliza sem que ninguém conseguisse a emenda. Face à pressão exercida pelos azuis, o Penafiel defendia com todos os homens atrás da linha da bola, procurando explorar o contra-ataque. Aos poucos, o equilíbrio foi tomando conta do jogo, assistindo-se a partir dos primeiros 15 minutos à repartição das jogadas a meio campo, mas com ligeiro ascendente dos comandados de Pepa. O Penafiel fez o seu primeiro remate à baliza aos 28 minutos, num pontapé de meia distância de Djibril que Makaridze agarrou com relativa facilidade. Dois minutos depois, Serginho cobrou um livre no lado esquerdo do ataque fogaceiro e Mika cabeceou com muito perigo, fazendo a bola passar a escassos centímetros da baliza de Ivo. Aos 35’, numa jogada iniciada por Rúben Oliveira, Kukula passou por vários adversários, entrou na área, combinou com Platiny e a bola sobrou para Erivaldo que rematou em jeito para uma boa defesa do guardião duriense. No minuto seguinte, Serginho, na cobrança de um livre frontal, mas ainda longe da baliza, fez a bola passar muito perto do poste esquerdo da baliza penafidelense. Este foi o último lance de perigo na primeira parte, tendo o intervalo chegado com o nulo a manter-se no marcador.

No reatamento, o Penafiel entrou mais atrevido no jogo, jogando mais no meio campo defensivo do Feirense, mas sem criar lances de perigo para a baliza de Makaridze. Os azuis reequilibraram rapidamente o jogo e aos 57 minutos, na sequência de um canto, Nuno Diogo cabeceia na direção da baliza e a bola desvia no braço de Tiago Barros, mas Carlos Xistra entendeu não haver motivo para grande penalidade, apesar dos protestos. Aos 65 minutos, num contra-ataque rápido do Penafiel, Aldair cruzou largo para o segundo poste, Yero amortece de peito e dá para o remate de Caetano que saiu junto ao poste esquerdo da baliza à guarda de Makaridze. O Feirense respondeu cinco minutos depois. Kukula faz uma excelente combinação com Platiny que culminou com o remate do ponta de lança brasileiro a que Ivo se opôs com uma defesa vistosa. Na sequência do canto Kukula falhou por muito pouco a baliza. Os azuis iam crescendo no jogo, jogavam com mais rapidez e pressionavam cada vez mais o último reduto penafidelense. Aos 81 minutos, Ivo Gonçalves fez a defesa da tarde ao negar o golo a Serginho, na cobrança de um livre frontal, voando para a bola que ia entrar no ângulo superior esquerdo. A equipa de Carlos Brito via-se remetida para a sua defesa e tentava jogar com o “relógio” como forma de travar as investidas do Feirense. Aos 88 minutos chegou o momento que todos esperavam, o golo do Feirense. Serginho, no lado esquerdo, arrancou um cruzamento de “régua e esquadro” para a cabeça de Micael que atirou colocadíssimo para o poste mais distante de Ivo Gonçalves, colocando, com toda a justiça, os fogaceiros na frente do marcador. Dois minutos depois, Emma, num remate de meia distancia, proporcionou ao guarda-redes do Penafiel mais uma excelente defesa, evitando males maiores para a sua baliza. Até final o Feirense foi controlando o jogo e o adversário, segurando uma preciosa vitória que o coloca no segundo lugar da classificação.

Conferência de imprensa
“É um orgulho tremendo ver o futebol que nos jogamos. Nos estamos sujeitos a perder, pois estamos, porque gostamos de ter bola, jogar, assumir, procurar a vitória. Fomos a única equipa que procurou ganhar, porque jogamos contra uma equipa a ver se o tempo passava e tivemos de lutar contra isso. Tivemos de nos adaptar ao futebol direto do Penafiel e o melhor jogador em campo foi o guarda-redes do Penafiel”.
Pepa, treinador do Feirense

“Foi um jogo de muita luta, muita entrega e muito querer de parte a parte. O Feirense vem de uma senda positiva, esta moralizado e muito confiante e a espaços foi superior. Não fizemos um jogo de grande qualidade técnica, mas foi um jogo muito disputado. Não viemos jogar para o empate, mas não conseguimos fazer mais”.
Carlos Brito, treinador do Penafiel

Segunda Liga | Jornada 17
29 Novembro | 16h00
Estádio Marcolino Castro

Feirense, 1 – Penafiel, 0

FEIRENSE: Makaridze, Mika, Nuno Diogo, Barge, Serginho, Cris, Rúben Oliveira (Emma, 80’), Vasco Rocha, Kukula, Erivlado (Michael, 67’) e Platiny (Vieirinha, 90+2’)
SUPLENTES: Otávio, Carvalho, Semedo, Tiago Jogo, Vieirinha, Michael e Emma
TREINADOR: Pepa

PENAFIEL: Ivo, Ângelo (João Paulo, 86’), Pedro Ribeiro, Djibril, Mbala, Aldair, Daniel Martins, Caetano (Gonçalo Abreu, 66’), Amoreirinha, Tiago Barros e Yero (Vieira, 72’)
SUPLENTES: Coelho, Vieira, Kalindi, Edu, João Paulo, Pedro Araújo e Gonçalo Abreu
TREINADOR: Carlos Brito

ÁRBITRO: Carlos Xistra (AF Castelo Branco)
ASSISTENTES: Nuno Pereira e Jorge Cruz

ACÇÃO DISCIPLINAR: Cartão amarelo para Rúben Oliveira (15’), Ângelo (18’), Kukula (21’), Caetano (33’), Aldair (45’), Tiago Barros (56’), Gonçalo Abreu (80’)

MARCADORES:
1-0 Michael (88’)

foto1 foto2 foto3 foto4