shopping-bag 0
Items : 0
Subtotal : 0.00 
Ver Carrinho Check Out

Notícia

Feirense, 2 – Portimonense, 1 | Crónica

ENORMES!

Só um enorme Feirense conseguiu levar de vencida uma difícil equipa do Portimonense que, até ao momento, apenas havia perdido um jogo na condição de visitante, em jogos do campeonato. O encontro da 29ª Jornada da Ledman Liga Pro começou com o golo madrugador da turma de Portimão, marcado por Fabrício aos 2 minutos, mas os fogaceiros, com uma verdadeira demonstração de muita garra, ambição de vitória e enorme espirito de equipa, operaram a reviravolta no marcador, primeiro por Barge, aos 73 minutos, num tiro de “raiva” do meio da rua, e depois por Kizito, aos 89’, após um brilhante passe de Vasco Rocha a desmarcar o extremo para um golo com classe. Com este triunfo, o terceiro seguido, o Feirense desmarca-se dos seus mais diretos perseguidores, consolidando o terceiro lugar na classificação, agora com 52 pontos, mais quatro do que o Aves e menos um do que o Chaves, segundo classificado.

O Feirense apresentou-se no seu habitual esquema de 4X3X3, com Vasco Rocha e Fabinho a dar apoio ao tridente ofensivo composto por Ali Meza, Kukula e Platiny, ajudando também nas tarefas defensivas. O jogo iniciou praticamente com o golo do Portimonense, marcado aos 2 minutos, num remate de Fabrício, forte e colocado, que não deu hipóteses de defesa a Makaridze. Motivados pela vantagem no marcador, a equipa algarvia exercia maior pressão sobre os azuis no último terço do terreno, obrigando a equipa santamariana a redobrados trabalhos defensivos e aos 8 minutos, na sequência de um canto, Pires cabeceou à barra em mais um lance de perigo. Os comandados de Pepa, aos poucos, foram reagindo ao golo sofrido e começaram a chegar à área algarvia com maior frequência. À passagem do primeiro quarto de hora de jogo, numa jogada de insistência no lado direito do ataque fogaceiro, Barge cruzou para o remate acrobático de Kukula que passou muito perto da barra. A pressão do Feirense sobre o adversário era cada vez maior, intensificando cada vez mais as jogadas de ataque, criando sempre dificuldades ao sector defensivo dos algarvios. Remetidos para o seu meio campo defensivo, os visitantes limitavam-se a esporádicos contra-ataques, sem incomodar Makaridze. O Feirense insistia no jogo ofensivo e aos 38 minutos, Kukula, após excelente cruzamento de Fabinho, atirou ao lado. Ao intervalo o Feirense perdia por uma bola a zero.

O Feirense regressou dos balneários determinado em virar o resultado que lhe era desfavorável e criou a primeira ocasião de golo logo no primeiro minuto da etapa complementar. Ali Meza, no lado direito do ataque, cruzou largo para o segundo poste onde apareceu Kukula a emendar de cabeça para uma defesa difícil de Ricardo Ferreira. O técnico fogaceiro, Pepa, mexeu no xadrez da sua equipa e fez entrar Kizito para o lugar de Ali Meza, tentando dar maior dinâmica ao ataque. Aos 61 minutos, Marcel corta mal a bola e quase fez autogolo, valendo Ricardo Ferreira que fez uma enorme defesa e evitou a “traição” do seu colega de equipa. No minuto seguinte, Kizito, isolado, chegou ligeiramente atrasado à bola e não conseguiu emendar para a baliza. No minuto seguinte, o guarda-redes do Portimonense voltou a negar o golo ao Feirense com mais uma enorme defesa a um remate `”queima-roupa”. O jogo estava vivo e os lances de perigo junto da baliza de Ricardo Ferreira sucediam-se. A pressão do Feirense deu frutos aos 73 minutos, num grande momento de futebol, Barge encheu-se de “raiva” e, a cerca de 30 metros, rematou fortíssimo e colocado ao ângulo superior direito da baliza algarvia fazendo um grande golo, que certamente irá figurar num dos melhores momentos da temporada. O treinador do Feirense queria vencer o jogo e fez entrar Porcellis para o lugar do exausto Platiny e pouco depois foi feliz por arriscar. Nos minutos finais a equipa do Portimonense conseguiu sacudir a pressão e jogou durante alguns minutos no meio campo fogaceiro, podendo finalmente respirar um pouco, chegando mesmo a criar duas situações de maior apuro para a baliza de Makaridze nesse curto espaço de tempo. Aos 89 minutos deu-se finalmente a tão desejada explosão de alegria com o segundo golo fogaceiro. Vasco Rocha, com um passe magistral, isolou Kizito que, na cara de Ricardo Ferreira, desviou para o fundo das redes, colocando os azuis na frente do marcador com inteira justiça. Até final, o Feirense geriu o jogo com muita inteligência e maturidade, segurando uma vitória tão justa como importante para as contas da subida.


CONFERÊNCIA DE IMPRENSA
“A luta é muito difícil e às vezes é onde menos esperamos. Hoje fomos muito superiores. A partir dos cinco minutos, depois de sofrermos o golo, o adversário passou grande parte do tempo a queimar tempo, quebrando o ritmo de jogo. Fomos uma equipa igual ao que temos sido, jogando apoiado, a procurar por dentro, a procurar por fora. Tivemos mais posse e mais oportunidades, no fundo, fomos iguais a nos próprios. Alteramos os que tínhamos a alterar e os golos surgiram com naturalidade. Vencemos muito bem uma equipa muito forte, com um coletivo e individualidades muito fortes”.
Pepa, treinador do Feirense

“Foi um bom jogo por parte de duas equipas que tentaram ganhar. No final, quando se pedia equilíbrio mental sobre o jogo, tentando espreitar sempre a vitória, desequilibramo-nos e sofremos o golpe fatal do Feirense. Temos de ter maturidade e gerir as emoções, sabendo que este campeonato só se decide nas últimas jornadas. Às vezes, um ponto fora é importante, muito mais importante do que não pontuar, perder o jogo, ainda por cima, com um adversário direto”.
José Augusto, treinador do Portimonense

Ledman Liga Pro | Jornada 29
14 Fevereiro | Domingo | 11h15
Estádio Marcolino Castro

Feirense, 2 – Portimonense, 1

FEIRENSE: Makaridze, Ícaro, Nuno Diogo, Barge, Serginho, Cris, Fabinho (João Vieira, 64’), Vasco Rocha, Ali Meza (Kizito, 57’), Kukula e Platiny (Porcellis, 83’)
SUPLENTES: Luís Ribeiro, Semedo, Mika, Rúben Oliveira, João Vieira, Kizito e Porcellis
TREINADOR: Pepa

PORTIMONENSE: Ricardo Ferreira, Lucas, Ricardo Pessoa, Ewerton, Fabrício, Mamadu (Fidélis, 82’), Marcel, Jadson, Ferreira (Ryuki, 72’), Zambujo (Lumor, 67’) e Pires
SUPLENTES: Carlos Henriques, Ivo Nicolau, Carvalhas, Fidelis, Ryuki, Lumor e Fidelis Irhene
TREINADOR: José Augusto

ÁRBITRO: Tiago Martins (AF Lisboa)
ASSISTENTES: André Campos e Pedro Mota

AÇÃO DISCIPLINAR: Cartão amarelo para Jadson (33’), Zambujo (42’), Fabinho (48’), Serginho (69’), Makaridze (70’) e Cris (80’)

MARCADORES:
0-1 Fabrício (2’)
1-1 Barge (73’)
2-1 Kizito (89’)

15 28 30 31 32