shopping-bag 0
Items : 0
Subtotal : 0.00 
Ver Carrinho Check Out

Notícia

Infortúnio ao cair do pano

O Feirense entrou bem no encontro, jogando com as suas linhas mais recuadas, procurando sair rápido para o contra-ataque sempre que recuperava a posse da bola. No entanto, foi o Rio Ave a criar a primeira ocasião de golo, logo aos dois minutos, com Ronan a não conseguir emendar para a baliza um cruzamento muito perigoso de Tarantini. A equipa de José Mota, com a lição muito bem estudada, anulava todas as movimentações do adversário e controlava bem o jogo, mas foram os vilacondenses novamente a criar perigo, aos 23 minutos, com Ícaro a tirar o golo a Ronan que aparecia isolado na cara de Peçanha. Em cima do último minuto da primeira parte, Rúben Ribeiro, num momento de inspiração, rematou fortíssimo de fora da área, Peçanha mostrou reflexos e desviou o remate para a barra, segurando o nulo ao intervalo.

Na segunda metade a toada de jogo manteve-se, com os azuis a controlarem o jogo, permitindo à equipa da casa o maior pendor ofensivo, explorando as transições rápidas como forma de levar perigo à área do Rio Ave. Aos 71 minutos, Peçanha teve de se aplicar para travar um remate perigoso de Heldon, na única defesa digna de registo efetuada pelo guarda-redes fogaceiro durante toda a etapa complementar. O Feirense poderia ter inaugurado o marcador aos 79 minutos. Tiago Silva cruzou rasteiro para o remate de Luís Aurélio que Cássio segurou quase sobre a linha de baliza. Cinco minutos depois, na sequência de um canto, Ícaro saltou mais alto do que os defesas contrários e cabeceou com muito perigo, fazendo a bola a passar muito perto do poste direito da baliza do Rio Ave. Tudo levava a crer que o jogo iria terminar com uma igualdade a zero mas, em período de compensação, num momento de grande infortúnio para as hostes fogaceiras, o Rio Ave marcou. Lance de contra-ataque conduzido pela esquerda, Heldon tenta o remate, a bola desvia em Luís Aurélio e sobra para Rafa que atira cruzado para golo, para desespero da turma santamariana que não merecia este desfecho.


Conferência de Imprensa:
“Tínhamos o jogo controlado e nada fazia prever que ao minuto 91 sofrêssemos um golo. Defrontamos um adversário com valor, estudámos os pontos fortes do Rio Ave, tentamos anulá-los e conseguimo-lo até à jogada do golo, onde creio que facilitámos em várias fases dessa jogada. Foi pena, trabalhámos para conseguir pelo menos um ponto aqui e que seria muito importante, sobretudo contra um adversário que luta por objetivos diferentes dos nossos”, José Mota, treinador do CD Feirense.

“O Feirense tentou-nos criar ansiedade e eu sentia alguma intranquilidade na equipa pela ausência de vitórias. Durante o jogo criámos três ou quatro oportunidades para marcar e penso que a vitória é justa”, Nuno Capucho, treinador do Rio Ave FC.


Liga NOS | 3ª Jornada
Rio Ave FC 1×0 CD Feirense

28 Agosto | 20H15 | Estádio do Rio Ave FC

RIO AVE FC: Cássio, Pedrinho (Gil Dias, 46’), Marcelo, Roderick, Rafa, Wakaso, Tarantini (João Novais, 38’), Rúben Ribeiro (Guedes, 78’), Ronan e Héldon.
SUPLENTES: Rui Vieira, João Novais, Krovinovic, Gil Dias, Nélson Monte, Yazalde e Guedes.
TREINADOR: Nuno Capucho

CD FEIRENSE: Peçanha, Ícaro, Luís Rocha, Barge, Vítor Bruno, Semedo, Tiago Silva (Cris, 82’), Luís Aurélio, Luís Machado (Tchami, 75’), Etebo e Platiny (Tasos, 62’).
SUPLENTES: Vaná, Kakuba, Paulo Monteiro, Fabinho, Cris Tchami e Tasos.
TREINADOR: José Mota

ÁRBITRO: João Capela (AF Lisboa)
ASSISTENTES: Ricardo Santos e Tiago Rocha
4ª ÁRBITRO: Pedro Vilaça

AÇÃO DISCIPLINAR: Cartão amarelo para Semedo (76’)

MARCADORES:
1×0 Rafa (90+1’)

Foto de Pedro Trindade/ASF.