shopping-bag 0
Items : 0
Subtotal : 0.00 
Ver Carrinho Check Out

Notícia

Jogar noventa minutos reduzidos a dez jogadores!

O Feirense foi derrotado pelo FC Porto por quatro bolas a zero, num encontro em que jogou particamente 90 minutos (contando com os descontos) reduzido a dez jogadores. Começou melhor a equipa de José Mota, com uma boa oportunidade para marcar logo nos minutos iniciais, por Ícaro, que cabeceou sobre a barra da baliza de Casillas. O mesmo Ícaro foi expulso no minuto seguinte. Luís Ferreira, árbitro do encontro, entendeu que o central fogaceiro fez falta sobre André Silva dentro da área e assinalou grande penalidade contra o Feirense, mostrando-lhe o cartão vermelho direto. Dos onze metros, André Silva deu vantagem ao FC Porto. Apesar de reduzido a dez jogadores, o Feirense procurou sempre, com muita garra, explorar o contra-ataque e foi dessa forma que esteve muito perto do golo do empate, mas o remate de Tiago Silva bateu em cheio no poste. Brahimi, à passagem da meia hora de jogo, servido por Diogo Jota, fez o segundo golo para a sua equipa, fixando o resultado em 0x2 ao intervalo.

Se a tarefa do Feirense, com uma desvantagem de dois golos e reduzido a dez, era quase impossível, pior ficou com o terceiro golo dos portistas, marcado por Marcano, na sequência de um canto cobrado por Brahimi. Vaná brilhou pouco depois, ao efetuar uma extraordinária defesa a remate de Diogo Jota, negando-lhe um golo que parecia inevitável. Aos 65 minutos, num ataque pelo corredor esquerdo, Alex Telles arrancou um cruzamento “in extremis” para a cabeça de André Silva que só teve de encostar para o quarto golo da sua equipa, o segundo na sua conta pessoal. Com o avançar do relógio, o ritmo de jogo foi baixando consideravelmente, registando-se apenas dois lances de golo, um para cada equipa. No primeiro, aos 89’, Platiny, servido por Etebo, rematou com estrondo à barra e, em período de compensação, Herrera atirou às malhas laterais depois de um bom trabalho dentro da área.


Conferência de Imprensa
“A nossa estratégia ruiu logo no início, com a grande penalidade e expulsão do meu jogador. Nos primeiros 45 minutos conseguimos duas ou três situações de grande perigo na baliza do FC Porto. Pela forma como o jogo se desenrolou, tenho que dar os parabéns aos meus jogadores. Tiveram uma postura digna e foram mentalmente fortes. Mereciam outro resultado”, José Mota, treinador do CD Feirense

“Estou satisfeito essencialmente porque fomos capazes de manter o que tínhamos projetado, conseguimos uma vitória justa, contra um rival difícil e que conseguimos controlar. São três pontos importantes para nós, porque permite-nos consolidar processos e continuar a crescer”, Nuno Espirito Santo, treinador do FC Porto


Liga NOS | Jornada 13
CD Feirense 0x4 FC Porto
11 Dezembro | 16H00 | Estádio Marcolino Castro

CD FEIRENSE: Vaná, Ícaro, Flávio, Alex Kakuba, Barge, Ricardo Dias, Tiago Silva (Cris, 60’), Jean Sony (Platiny, 52’), Luís Aurélio, Etebo e Karamanos (Luís Rocha, 71’)
SUPLENTES: Peçanha, Semedo, Cris, Luís Rocha, Luís Machado, Guima e Platiny
TREINADOR: José Mota

FC PORTO: Iker Casillas, Alex Telles, Maxi Pereira, Felipe, Marcano, Danilo, Óliver Torres (André André, 65’), Brahimi, Diogo Jota, Corona (Herrera, 57’) e André Silva (Rui Pedro, 70’)
SUPLENTES: José Sá, Boly, Rúben Neves, Herrera, André André, Layun e Rui Pedro
TREINADOR: Nuno Espirito Santo

ÁRBITRO: Luís Ferreira (AF Braga)
ASSISTENTES: Luís Cabral e Nuno Eiras
4º ÁRBITRO: Rui Oliveira

AÇÃO DISCIPLINAR: Cartão amarelo para Alex Kakuba (26’) e Ricardo Dias (34’). Cartão vermelho direto para Ícaro (3’)

MARCADORES:
0x1 André Silva (4’, G.P.)
0x2 Brahimi (33’)
0x3 Marcano (50’)
0x4 André Silva (66’)